Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif

Conheça o novo golpe do boleto falso e saiba como identificar o documento

Confira dicas para identificar um boleto falsificado e evite cair em fraudes


Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O boleto bancário ainda é uma das principais formas de pagamento usada pelos consumidores brasileiros, que apostam em sua segurança e praticidade para acertar as contas.

Apesar de ser um dos métodos preferidos, o boleto configura o terceiro lugar nos métodos de acerto à vista mais usados, perdendo para o Pix em quantidade de transferências feitas e também para o TED, quando avaliado os valores envolvidos nas transações.

Ainda assim, há um alto número de boletos circulando no país diariamente, emitidos por diversas instituições, tornando-se um alvo fácil para fraudes.

Por isso, é importante que as pessoas estejam atentas às características dos boletos e formas de envio, para evitar cair em golpes e ter algum prejuízo financeiro e documental.

Confira algumas dicas que a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a Serasa preparam para os consumidores evitarem problemas de boletos falsificados:


Para começar: esse boleto é seu mesmo?

Em muitos casos, só o fato de reconhecer que o cliente não fez nenhuma compra ou plano com a empresa ou a pessoa que te enviou um boleto já livra de muito golpe.

Para saber disso, mantenha suas contas organizadas, anote as compras que faz, tanto em lojas físicas como em lojas virtuais, e os boletos de amigos e família que devem chegar.

O número de golpes do boleto falso costuma ser maior em datas comemorativas, como Dia dos Namorados, Dia das Mães, Black Friday e Natal, por exemplo, quando o volume de compras é maior. Nesses momentos, a atenção precisa ser redobrada. Um boleto falso pode chegar em meio a tantos outros que o consumidor está esperando


Algum boleto vai chegar mesmo, e agora?

Se está esperando algum boleto chegar, o primeiro passo é prestar atenção para o canal por onde essa conta vai ser cobrada. Muitos boletos falsos chegam por WhatsApp, SMS, e-mail e até redes sociais. A pessoa ou empresa informou o canal por onde enviaria esse boleto? Esse canal está correto?

Não clique em links de e-mails ou mensagens que não reconhece. Esses links podem ser fraudulentos e podem roubar seus dados assim que clicar neles. E, cuidado: muitos golpistas estão craques em te convencer de que aquela conta é real. Se está esperando um boleto de alguém ou de uma empresa, contate os canais oficiais para entender como essa conta vai chegar.

Caso a empresa tenha essa opção, prefira baixar os boletos direto no site ou aplicativo oficial. Para fazer isso, confira se o site é seguro, se tem “https” antes do endereço e um cadeado ao lado. Não use wi-fi público na hora de acessar suas contas pessoais e aplicativos bancários! Redes públicas são mais vulneráveis a ataques.

Como saber se o boleto é falso?

O boleto chegou e o cliente até reconhece a empresa ou a pessoa que emitiu esse documento. Como saber se esse boleto é falso? Veja as dicas.


1. Cheque os dados do boleto

Todo boleto tem algumas informações que podem ajudar a identificar se ele é falso ou não. O documento precisa trazer o número do CPF ou CNPJ do emissor, que é a pessoa ou a instituição que está fazendo a cobrança, e do pagador.

Não pague nenhum boleto de forma apressada. Cheque essas informações: o cliente reconhece essa empresa? Fez mesmo essa compra? Seus dados estão corretos? Pesquise o CNPJ que aparece no boleto na internet, para identificar a empresa.

Também há a data de vencimento e o valor do boleto. Muita gente pula essas informações, mas elas também podem revelar um documento falsificado.

Às vezes, tudo parece correto, mas o valor que aparece no boleto é um pouco diferente do que aparece na hora que vai pagar. Não pode. Todas as informações que aparecem no boleto precisam ser iguais às informações que aparecem na tela na hora de pagar. Isso inclui o valor, nome do beneficiário, data de vencimento e banco.

Se tem uma diferença de um centavo ou de um dia da data de vencimento ou caso esteja faltando uma letra no nome do beneficiário, por exemplo, desconfie! Tudo parece certo, mas seus dados pessoais estão errados? Contate o emissor (a empresa ou pessoa) para checar se ela enviou mesmo esse boleto.


2. Cheque os dados na hora de pagar

Não basta conferir as informações que aparecem no boleto. É preciso checar as que aparecem quando o consumidor vai pagar o documento. Nessa hora, redobre a atenção aos dados da pessoa ou empresa que aparecem na sua tela de confirmação de pagamento.

Muita coisa pode ser diferente aqui: o nome do beneficiário, o banco, o número da conta, o valor. Se algum dado estiver errado, não pague o boleto. Fale com a empresa ou a pessoa para confirmar a veracidade do documento.


3. Peça boletos em “pdf”

Segundo a Febraban, muitos golpistas usam um vírus para adulterar os boletos quando a vítima imprime o documento. Por isso, desconfie de boletos que não chegam em um arquivo do tipo “pdf”. Não imprima os boletos e peça que o emissor envie o arquivo nesse formato, que é mais difícil de ser alterado.

De acordo com a Kaspersky, quadrilhas usam vírus para alterar boletos, mudando os dados da conta para a qual esse dinheiro será depositado. Esse vírus entra em ação quando a vítima imprime um boleto. Ou seja, tente privilegiar o pagamento digital.


4. Confira o código de barras

Aquela série longa de números também pode te ajudar a identificar se um boleto é ou não falso. Os três primeiros números dessa sequência representam o código do banco do beneficiário. Muitas vezes, os golpistas trocam a imagem do banco que aparece no boleto, mas o código é de outro banco.

Para saber os códigos corretos, acesse a ferramenta Busca Banco, da Febraban. Insira seu estado e município para que a ferramenta mostre a lista de códigos dos bancos que atuam na sua região.

Além disso, verifique os números finais do código. Eles representam exatamente o valor do boleto. Por exemplo: se o valor a ser pago é de R$ 79,90, os últimos dígitos do código serão 7990. Se esse número for diferente, o boleto é falso!

Outro ponto de atenção em relação ao código de barras é a leitura automática. Na hora de pagar esse boleto no caixa eletrônico ou no seu aplicativo, se ocorrer erro na leitura automática do código, desconfie. Muitos boletos falsos apresentam esse erro e forçam a vítima a digitar a sequência errada.


5. Confira possíveis erros de digitação

Além das informações principais, os boletos falsos podem ter erros de digitação que não chamam a atenção num primeiro momento. É comum existir esses erros em e-mails e boletos falsos. Verifique, por exemplo, se não está faltando alguma letra em uma frase, se existem erros de português. Tudo isso é sinal de que o boleto é falso.


6. Atenção com boletos que chegam a sua casa

Desconfie de boletos que chegam a sua casa. Eles são mais fáceis de serem fraudados. O melhor caminho, neste caso, é preferir emitir o boleto direto no site oficial da empresa, pedir que ela envie por e-mail, em “pdf” ou acessar o documento nos aplicativos dessas instituições.

Fonte: Portal Contábeis com informações Blog Nubank

Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif