top of page

Desenrola Brasil: veja quais bancos confirmaram participação no programa

Os bancos vão realizar empréstimos e receber os pagamentos dos devedores.


Os bancos já têm se pronunciado sobre a participação no programa Desenrola Brasil, que tem como objetivo a renegociação de dívidas de pessoas físicas. O programa foi anunciado no dia 5 de junho, porém passará a valer em julho.

Entre as instituições que já confirmaram a participação no programa, estão: Banco do Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander.

Já a Caixa Econômica Federal, Mercantil, Inter, Pan, PagBank e Banrisul divulgaram que aguardam a regulamentação da medida, a ser publicada pelo Ministério da Fazenda nos próximos dias.

Os bancos Daycoval, Nubank e C6 não responderam até a publicação da reportagem. O BMG disse que não se pronunciará.

Segundo comunicado oficial, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) afirmou ter participado ativamente das negociações com o governo federal e ressalta que o programa visa assegurar acesso ao crédito futuro para aqueles que estão endividados.

O presidente da Febraban, Isaac Sidney, afirma que a entidade acredita no potencial do programa Desenrola para que o crédito continue sendo concedido de forma segura e atendendo às necessidades dos mutuários.

As instituições financeiras têm um papel crucial na implementação do programa, uma vez que serão responsáveis por realizar as transações de empréstimos e receber os pagamentos dos devedores, repassando posteriormente aos credores.

O que é o Desenrola Brasil?

O Desenrola Brasil contará com duas categorias de renegociação de dívidas. A categoria 1 será destinada à renegociação de dívidas de até R$ 5.000 para indivíduos que estejam registrados como inadimplentes até 31 de dezembro de 2022 e que recebam até dois salários mínimos (R$ 2.640) ou estejam cadastrados no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Por outro lado, a categoria 2 abrangerá pessoas com dívidas em instituições bancárias, oferecendo a possibilidade de renegociação direta com a respectiva instituição financeira. O governo planeja lançar o programa em julho, visando beneficiar mais de 70 milhões de pessoas, proporcionando a renegociação de até R$ 100 bilhões em dívidas.

Uma das condições para a inclusão do banco no programa será retirar as pessoas que possuem dívidas de até R$ 100 da lista de inadimplentes. De acordo com o Ministério da Fazenda, essa medida não representa o perdão da dívida, mas sim uma maneira de permitir que o devedor possa se beneficiar do programa Desenrola Brasil.

Estima-se que aproximadamente 1,4 milhão de pessoas sejam beneficiadas por essa iniciativa.


Fonte: Portal Contábeis

bottom of page