top of page

Investimento no bem-estar da equipe está diretamente relacionado com o sucesso das organizações

Pesquisa da Gympass afirma que programas de bem-estar são muito ou extremamente importantes para aquisição de talentos (78%), satisfação (88%) e retenção (79%).


Empresas que investem no bem-estar da sua equipe melhoram os resultados das suas organizações, segundo um novo estudo da Gympass, maior hub de bem-estar corporativo do mundo.


Os resultados aparecem no primeiro estudo anual Retorno sobre o investimento (ROI) do Bem-Estar da empresa, divulgado nesta semana, e revela que a performance das empresas e a saúde dos funcionários estão diretamente conectados


A pesquisa é baseada em um levantamento com mais de 2 mil líderes de Recursos Humanos (RH) que estão investindo no bem-estar da força de trabalho em nove países, incluindo Brasil, Estados Unidos e Reino Unido.


Em novembro de 2022, o Gympass lançou o precursor deste estudo, o Panorama do Bem-Estar Corporativo, que fez uma descoberta significativa: existe uma crise de bem-estar.


Os colaboradores das empresas estão mais estressados do que nunca e passaram a exigir de seus empregadores recursos de saúde física e emocional para cuidar da sua saúde e qualidade de vida. Agora, o ROI do Bem-estar leva essa descoberta um passo adiante.


O estudo descobriu que as organizações não podem mais separar o desempenho de seus negócios do bem-estar de suas equipes, porque o desempenho das empresas e a qualidade de vida dos colaboradores estão diretamente conectados.


Empresas que oferecem apoio e recursos adequados para priorizar o bem estar dos colaboradores contam com uma força de trabalho mais feliz, engajada e produtiva. Essas companhias medem um retorno positivo dos investimentos que contribui diretamente para seus resultados, demonstrando como os benefícios abrangentes de bem-estar são vantajosos para os empregadores e seus funcionários.

Confira alguns dados revelados pela pesquisa, em nível global:


● 90% das empresas que mensuram os resultados dos programas de bem-estar veem um retorno positivo dos investimentos;


● Companhias que mensuram o impacto dos seus programas de bem-estar descobriram que eles são muito ou extremamente importantes para aquisição de talentos (78%), satisfação (88%) e retenção (79%);


● 85% dos líderes de RH avaliam que os programas de bem-estar diminuem o custo de atração e retenção de talentos e aumentam o engajamento das equipes;


● 85% dos líderes de RH observam redução de afastamentos e licenças médicas como resultado de benefícios abrangentes de bem-estar;


● 78% dos líderes de RH relatam que seus programas de bem-estar reduzem os custos com despesas de saúde.


No Brasil, os líderes de RH são ainda mais otimistas com os impactos dos programas de bem-estar nos resultados das organizações:


● 97% das empresas brasileiras que mensuram o ROI dos seus programas de bem-estar veem resultados positivos;


● 97% dos participantes do C-Level defendem o bem-estar dos colaboradores;


● 97% dos líderes de RH no país dizem que programas de bem-estar são muito ou extremamente importantes para a satisfação dos colaboradores;


● 89% dizem que os benefícios de bem-estar são importantes para a aquisição de talentos e 86% dizem que são importantes para a retenção;


● Já o C-Level enxerga de forma quase unânime o impacto dos benefícios de bem-estar, com 99% afirmando que eles são importantes para a satisfação dos colaboradores, 96% dizendo que são importantes para a aquisição de talentos e 96% dizendo que são importantes para a retenção;


● 82% das empresas observam redução nos custos de plano de saúde e 88% atribuem aos programas de bem-estar uma queda no número de faltas no trabalho por questões médicas;


● O C-Level também reconhece o potencial dessas iniciativas, 90% dos executivos consideram que eles são uma medida que traz redução de custos e 85% dizem que são uma vantagem competitiva.


“Os resultados da primeira edição do ROI do Bem-Estar mostram que há um consenso entre os líderes de RH de que é essencial priorizar o bem-estar dos colaboradores para garantir o desempenho das companhias. No entanto, muitos ainda têm dificuldade em calcular o retorno sobre o investimento”, afirma a líder do Gympass no Brasil, Priscila Siqueira.


“As empresas precisam entender que os investimentos em saúde, qualidade de vida e bem-estar são investimentos diretos nos negócios. Diante da crise de bem-estar que a força de trabalho enfrenta, as empresas que tiverem essa percepção terão sucesso no longo prazo e as que ignorarem essa realidade inevitavelmente ficarão para trás. Esse estudo demonstra a importância do bem-estar para a força de trabalho e oferece ferramentas para mensurar o seu impacto - um componente essencial na medida em que as empresas precisam lidar com aumento de custos e mudanças de prioridades”.


O Vice-Presidente de Pessoas do Gympass, Renato Basso, ainda explica que empresas que priorizam a saúde e a felicidade dos colaboradores permitem que eles tenham o engajamento para se envolverem profundamente em suas atividades e entregarem melhores resultados.


“Nós descobrimos que para a maioria dos funcionários o bem-estar é tão importante quanto o salário e agora temos dados para demonstrar que quando as empresas apoiam seus colaboradores em suas jornadas de bem-estar, eles têm mais saúde e energia para se dedicar ao trabalho e ajudar os negócios a prosperarem. Ao investir em bem-estar corporativo, as empresas conseguem atrair e reter os melhores talentos, impactando positivamente o sucesso da organização”, finaliza Basso.


Fonte: Portal Contábeis

Comentários


bottom of page