Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif

Mesmo com inflação, consumo de cerveja cresce no país

O preço da cerveja subiu 9,38% em 12 meses, mas o volume de vendas deve subir 8% em 2022.

Pexels

O volume de cerveja comercializado no Brasil cresceu 7,6% em 2021, superando o avanço de 5,3% registrado em 2020 e atingindo o recorde de 14,3 bilhões de litros, de acordo com um levantamento inédito realizado pela Euromonitor.


Até então, o melhor resultado tinha sido em 2014, ano em que o Brasil sediou a Copa do Mundo.


No ano passado, o crescimento foi puxado pela volta do consumo fora de casa, que saltou 9,2% na comparação com o primeiro ano de pandemia, enquanto o consumo dentro de casa cresceu 5,4% após ter disparado 17,6% em 2020.


A expectativa é que o volume total de vendas da bebida cresça novamente ao redor de 8% em 2022, alcançando 15,4 bilhões de litros e marcando o 4º ano consecutivo de alta.


Consumo de cerveja


Entre os fatores que explicam o crescimento das vendas de cerveja, mesmo com um cenário econômico adverso, estão:


  • A persistência do hábito cultural de beber cerveja no país, inclusive dentro de casa;

  • o Brasil é o terceiro maior mercado de cervejas, atrás somente da China e Estados Unidos;

  • À volta do consumo fora de casa, após a população ter ficado isolada em casa em razão da pandemia;

  • Preços ainda relativamente acessíveis para a maior parte da população e subindo menos que a inflação oficial;

  • Grande número de lançamentos pelos fabricantes e crescimento de dois dígitos desde 2020 nas categorias premium e de cerveja sem álcool ou de baixa caloria.

  • "Como as pessoas ficaram isoladas em casa por mais de um ano, começaram a sair mais para ‘se vingar’ da Covid. As pessoas querem compensar o tempo perdido e se reconectar com os amigos e com os colegas de trabalho", afirma o analista de pesquisa da Euromonitor, Rodrigo de Mattos. "A cerveja ainda é um produto visto como de indulgência, um item de segunda necessidade básica é uma opção barata e viável de relaxamento".


Impactos da inflação


Dados do IBGE mostram que o preço da cerveja subiu 9,38% em 12 meses, abaixo da inflação oficial do país, que acumula alta de 11,73%. Fora de casa, a alta bem menor, de 5,22% em 12 meses, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA).


Ainda que a inflação ainda não esteja fazendo o brasileiro beber menos no total, ela tem obrigado o consumidor a fazer mais contas na hora de decidir onde e o que beber.


Confira as marcas de cerveja mais consumidas no Brasil:


  • Brahma;

  • Skol;

  • Antarctica;

  • Itaipava;

  • Nova Schin.


Marcas premium:


  • Brahma (Brahma Extra, Malzbier e outras);

  • Bohemia;

  • Heineken;

  • Budweiser.


Fonte: Portal Contábeis

Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif