Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif

Pix: ferramenta de pagamentos instantâneos avança e pode ultrapassar boleto

Aceitação do meio instantâneo em lojas on-line atingiu recorde de 64% em janeiro, diz estudo.


Foto de Tim Douglas no Pexels

A utilização do Pix como meio de pagamento nas maiores lojas on-line atingiu o patamar recorde de 64,4% em janeiro, conforme estudo da consultoria Gmattos.


Há um ano, esse percentual era de apenas 16,9%. Com esse crescimento, é possível que, já nos próximos meses, o instrumento de pagamento instantâneo alcance ou até ultrapasse o boleto no ranking das formas de pagamento mais disponibilizadas no e-commerce.


Hoje, o Pix, lançado em novembro de 2020 pelo Banco Central (BC), ocupa a terceira posição da lista, ficando atrás do cartão de crédito (aceito em 98,3% das lojas) e do boleto (aceito em 74,6%). O estudo, realizado desde janeiro de 2021, analisou 59 lojas on-line, que juntas representam 85% do comércio eletrônico do país.


Utilização da Pix


Cofundador e CEO da Gmattos, Gastão Mattos explica que o avanço do pagamento instantâneo não significa, necessariamente, que haverá uma queda na aceitação do boleto.


“Nos contatos com as lojas, percebemos que o boleto preenche um espaço necessário. Uma parte das pessoas fica à margem do consumo sem essa opção.”


Segundo ele, o nível de penetração dessa forma de pagamento no comércio eletrônico permaneceu relativamente estável ao longo do ano.


A pesquisa mostra que, até o momento, o grande afetado foi, na verdade, o cartão de débito. A modalidade era disponibilizada por 37,3% das marcas analisadas em janeiro de 2021, patamar que caiu para 30,5% no mês passado.


“O Pix está batendo o débito porque sua usabilidade é muito melhor no e-commerce”, diz o especialista.


De acordo com Mattos, a aceitação do Pix nas lojas on-line pode alcançar a do boleto nos próximos meses, possivelmente até maio. É preciso considerar, no entanto, que daqui para frente o crescimento da modalidade tende a ser mais lento.


“Já são 120 milhões de chaves habilitadas e esse é o principal assunto da indústria. Se a loja não colocou essa opção ainda, é porque provavelmente tem alguma dificuldade não trivial de fazê-lo.”


Fonte: Portal Contábeis com informações do Valor Econômico

Sem papel, sustentável e consultiva.gif