Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif

Pix: nove em cada dez pequenos negócios utilizam a ferramenta

Pesquisa ainda revelou que os microempreendedores individuais são os que mais aderiram ao novo método de pagamento.


Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Pix, ferramenta de transferência instantânea do Banco Central, segue crescendo e ganhando novos adeptos, tanto na utilização por pessoas físicas quanto por pessoas jurídicas.


Em pouco mais de um ano de lançamento, o método se consagrou e hoje mais de 86% dos pequenos negócios já utilizam o Pix, segundo a 13ª Pesquisa de Impacto da Pandemia do Coronavírus nos Pequenos Negócio, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV) no final do ano.


O número subiu consideravelmente se comparado com os resultados da mesma pesquisa feita em agosto, quando 77% dos empreendedores entrevistados confirmaram o uso da ferramenta.


O presidente do Sebrae, Carlos Melles, destacou em nota que o aumento do número de usuários do sistema e as facilidades que ele promove têm estimulado os donos de pequenos negócios a incorporarem essa modalidade de pagamento. “É um sistema ágil, que não onera o consumidor, mais barato que uma taxa de cartão e que pode ser usado 24 horas por dia e com 115,2 milhões de adeptos, de acordo com dados do Banco Central de novembro deste ano”, ressalta Melles.


Análise por porte empresarial


Se a análise ainda for avaliada por porte das empresas pesquisadas, os Microempreendedores Individuais (MEI) são os maiores usuários, devido à facilidade do uso e movimentações financeiras menos complexas que grandes operações.


A pesquisa mostrou também que entre as atividades mapeadas, em primeiro lugar temos as academias e restaurantes/bares com maior utilização do Pix, seguido por serviços de mecânicas/oficinas e centros de beleza.


“Podemos afirmar que independentemente da atividade, a grande maioria dos empreendedores já usa o Pix no Brasil e acreditamos que esse número ainda pode crescer”, ressalta o presidente do Sebrae.


Fonte: Portal contábeis


Sem papel, sustentável e consultiva.gif