top of page

Quando o aplicativo é de graça, o produto é você

De acordo com especialista, brasileiros não cuidam dos próprios dados.


A geração atual está sendo enganada com tudo “gratuito” pela internet.

Foi disseminada essa cultura. Uma coisa é testar por sete dias e outra é ser de graça pra sempre.

Toda vez que você usa um aplicativo ou um programa de graça, tenha certeza que seus dados são o produto.

Aliás, na era da digitalização os nossos dados são valiosíssimos, se não fosse assim, não haveria tantos “hackers”, cujo nome técnico correto é cracker.

Os crackers criam todos os dias novas “iscas digitais” para tentar acessar os sistemas domésticos e de empresas, justamente para capturar os dados.

Com esses dados, são aplicados diversos golpes ou mesmo são pedidos resgates em moedas virtuais.

Os dados pessoais são tão importantes que são pedidos resgates, como são pedidos em casos de sequestros de pessoas.

Isso prova quão valiosos são nossos dados pessoais.

Mas você não se importa com isso e usa muitos aplicativos gratuitos, achando que está “levando vantagem”, quando na verdade, você está vendendo seus dados em troca do uso de um aplicativo que, muitas vezes, nem tem tanta utilidade assim.

Quando um cracker entra em um sistema, ele tem acesso até mesmo a dados de passaporte, por exemplo.

Os dados pessoais em passaportes são os dados mais valiosos na deep web e podem chegar a R$ 3.300.

Outro erro comum é fazer login em sites de aplicativos com suas contas de Google ou Facebook.

Quando você faz isso, você está autorizando aquele site ou aplicativo a ter acesso a todos os dados pessoais e de pesquisas que você já fez ao longo de sua vida naquelas plataformas.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) veio proteger seus dados pessoais, mas nada adianta uma lei se você, titular, não valorizar seus dados e sair usando qualquer aplicativo gratuito, entregando, um dos seus bens mais preciosos, a troco de quase nada.

Outra modinha é adicionar diversas fotos em app para receber em troca uma montagem sua como heróis ou como Barbie.

Quando você envia diversas fotos diferentes, os meliantes digitais conseguem, via inteligência artificial, montar seu rosto em 3D para desbloquear diversos aplicativos, incluindo de bancos, trazendo prejuízos incalculáveis.

Não use aplicativos gratuitos, não envie fotos para aplicativos em troca de uma montagem apenas para fazer “graça” nas redes sociais, tudo isso faz parte de uma rede de crackers com um único objetivo: ter acesso aos seus dados pessoais para tirarem vantagem econômica deles.

A proteção de dados começa com você!

Não esqueça de compartilhar essas informações valiosas com seus clientes, amigos e familiares.

Os brasileiros adoram esses sites de montagem com fotos, por isso os dados dos brasileiros valem menos do que de outros cidadãos do mundo.

De acordo com uma pesquisa da NordVPN, os dados pessoais dos brasileiros são vendidos por R$ 47 uma unidade de número de RG, por exemplo; já os dados de cidadãos da Austrália ou da França, os valores podem chegar a R$ 1.740.

Vamos ajudar os cidadãos brasileiros a protegerem seus dados e isso começa por nós.

Comments


bottom of page