Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif

Real digital: devido à greve no BC, testes são adiados para 2023

Testes da versão digital da moeda brasileira, o Real Digital, devem começar mais tarde do que o previsto, devido ao atraso ocorrido pela greve da autarquia.

Pexels

O projeto-piloto do Real Digital, versão digital da moeda brasileira, que deverá funcionar como uma extensão do papel, proposto pelo Banco Central (BC), estava previsto para iniciar dos testes neste ano, mas, devido à greve dos servidores da autarquia, o calendário precisou ser reajustado.


Com a paralisação, as operações digitais sofreram prejuízo e os testes devem começar em 2023, de acordo com a fala do economista do Banco Central (BC), Fábio Araújo, durante debate virtual sobre o tema, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), na noite desta segunda-feira (30)


“A gente tinha a intenção de começar os pilotos [testes] talvez ainda no final desse ano, mas a greve atrasou bastante o cronograma. De toda forma, em 2023 e, em boa parte de 2024, a gente vai ter os pilotos rodando e as condições de ter certeza do lançamento da moeda digital na segunda metade de 2024”, afirmou o economista.


O BC anunciou no ano passado que estava desenvolvendo o Real Digital, que diferente das criptomoedas, será garantido pelo órgão e terá a possibilidade do uso de novas tecnologias, como contratos inteligentes (smart contracts), pagamento em outros países, e utilização em internet das coisas (IoT).


Segundo o BC, quem tiver interesse em utilizar a moeda digital, deverá procurar um agente autorizado pela autarquia (como uma instituição financeira) para obter uma carteira virtual.


A versão inicial da moeda digital será uma opção adicional ao uso de cédulas convencionais, e poderá ser convertida para qualquer outra forma de pagamento hoje disponível – como depósito bancário convencional ou em real físico.


Fonte: Portal Contábeis

Sem papel, sustentável e consultiva.gif