Sem papel, sustentável e consultiva 2  (1).gif

Saiba como lidar com o medo de fracassar no empreendedorismo

Você já se pegou pensando que ainda não sabia o suficiente para empreender e que era melhor fazer mais um curso antes de começar? Já deixou de tocar algum projeto por medo de fracassar? Então este artigo é para você!


Pexels

Ah! Essa palavra começada com F que persegue tantas empreendedoras!

F-R-A-C-A-S-S-O!


É verdade que o medo do fracasso é universal. Não é um medo exclusivamente feminino, porém a raiz desse medo é bem diferente para homens e mulheres.


Todos nós estamos lidando com o medo profundo de não sermos bom o suficiente e de não sermos amados, em decorrência disso.


É por isso que o medo do fracasso acaba sendo tão visceral. Fracassei por não ser boa o suficiente e, por não ser boa o suficiente, vou perder o amor e a admiração de pessoas que são importantes para mim. Parece familiar?


Só que o referencial do que é ser bom o suficiente é diferente porque os condicionamentos sócio familiares influenciados pelo patriarcado impõe rótulos e expectativas a cada gênero.


E porque isso importa quando falamos de empreendedorismo?


Segundo um artigo do SEBRAE, em parceria com a Endeavor, publicado em 05/07/2016, 43% das mulheres nem sequer abrem a própria empresa por medo de fracassar. Não sei como isso ressoa em você, mas em mim, isso é muito triste.


Acredito no empreendedorismo feminino como forma de conquistar a autonomia financeira e emocional. E saber que 43% das mulheres não se permitem experimentar por medo de fracassar representa uma grande vitória do patriarcado sobre nós.


As estatísticas em 2022 podem ser diferentes, principalmente com as variações no número de empreendedoras por necessidade desde o início da pandemia em 2020.


No entanto, quando falamos sobre medos enraizados no inconsciente coletivo, percebemos que as mudanças não são rápidas. Há uma longa duração na história.


Mas, afinal, porque o medo do fracasso afeta tanto as mulheres e as impede de empreender?


A cobrança interna e social para que a mulher seja perfeita em tudo, aumenta significativamente o medo do fracasso. “Ou perfeição ou nada !” mata muitos sonhos e negócios. Alguns pensamentos críticos são muito comuns, como:


  • Eu ainda não estou pronto(a), preciso me preparar mais;

  • Eu ainda não sei o suficiente, preciso fazer mais um curso;

  • Preciso revisar novamente o planejamento em busca de falhas;

  • Enquanto não tiver uma identidade visual e um branding bem definidos não posso iniciar;

  • A minha imagem pessoal ainda não reflete a mensagem que quero comunicar, preciso resolver isso antes de começar;


Você já se pegou falando frases desse tipo?


As listas enormes de requisitos para que a mulher possa se declarar pronta para empreender por já saber o suficiente e por já ter-se preparado o suficiente fazem com que muitos negócios femininos não saiam do papel e que oportunidades sejam perdidas por já ter passado o timing.


Agora, o medo do fracasso é sempre ruim?


Todo medo representa um mecanismo de proteção. Essa é a intenção positiva do medo: fazer você se preparar para a situação significada como ameaçadora.


Quando você consegue usar o medo do fracasso a seu favor, ele deixa de ser ruim. A mulher que é líder do seu próprio negócio e que está sendo protagonista da sua própria história, inevitavelmente, vai ser alvo de críticas e de julgamentos, pois historicamente não foi esse o papel que a mulher ocupou.


Suas decisões, habilidades e capacidades serão mais questionadas. Características de liderança e comportamentos que nos homens são aceitas e valorizadas, nas mulheres, são motivo para que elas sejam vistas como desagradáveis, como demonstrou Robins Hauser em suas palestras.


Portanto, é mais do que natural que o medo do fracasso afete mais as mulheres, já que, inconscientemente, elas se sentem ocupando um lugar que não lhes pertence.


No entanto, se não tomarmos a decisão de ocupar o espaço que é só nosso dentro do empreendedorismo e dentro do digital, nem tão cedo iremos sentir que esse lugar, de fato, nos pertence.


Como, então, quebrar este paradigma?


Antes de mais nada, cuide das suas regras para determinar o que é fracassar. Muitas vezes temos regras que tornam muito fácil nos sentirmos fracassadas e regras que tornam muito difícil nos sentirmos bem-sucedidas. Só que, na verdade, deveria ser o inverso. Experimente escrever isso num papel e olhar para suas próprias regras todos os dias.


Quando mudar a sua mentalidade e entender que o fracasso é apenas um feedback e não uma derrota pessoal, notará que vai se sentir confiante para arriscar mais. E você pode, simplesmente, começar essa mudança condicionando o novo padrão mental através da repetição desta frase: fracasso é só um feedback.


Busque uma área que seja um ambiente seguro para se arriscar, trabalhar sua disciplina e sua resiliência e treinar a sua frustração. Pode, inclusive, ser algo fora do seu negócio. Faço isso nos meus treinos de Kettlebell Sport.


Em alguns dias eu venço o Kettlebell e em outros dias aquela bola de ferro me vence. Os dias em que o Kettlebell me vence são os mais importantes, pois é aí que disciplino a minha frustração e condiciono o meu olhar para o longo prazo e não para o resultado imediato.


São nesses dias que encontro os maiores aprendizados para o esporte, para a vida e para o empreendedorismo. A verdade é que, se você faz a colheita dos seus aprendizados, nunca fracassa.


Além de normatizar o erro e o fracasso, treinar a sua mente para buscar os aprendizados contidos em cada situação, você também precisa aprender a dissociar sua auto validação de suas conquistas.


Seu valor pessoal, sua inteligência, sua capacidade, seu auto amor ou o amor de outras pessoas não dependem do seu sucesso nem são conquistados por meio dos resultados que você gera.


Quando você virar essa chave, vai se tornar capaz de experimentar e arriscar muito mais. Não te prometo que o medo do fracasso nunca mais baterá à sua porta.


Trata-se de um condicionamento de um novo padrão mental. É normal que a mente volte ao padrão antigo e já conhecido quando não cultivamos diariamente o hábito de fortalecer o novo modelo.


Ao fazer algo pela primeira vez ou até se alcançar o resultado esperado, também é comum ter dúvidas e medo de fracassar.


Quando você mudar de nível dentro do seu negócio, começar a tomar decisões mais ousadas ou tiver mais pessoas sob sua responsabilidade e dependendo da sua empresa. É normal o medo do fracasso ressurgir.


Nestas ocasiões, lembre-se de que fracasso é só um feedback e que o verdadeiro fracasso é não tentar. Acolha seu medo e se pergunte o que ele quer te mostrar ao invés de fingir que não o está sentindo ou de se criticar por senti-lo.


Cuide do que você precisa para se sentir confiante e corajosa. Se for necessário, prepare-se um pouco mais. Só não deixe de agir nem de experimentar dentro do seu negócio só por medo de dar errado, combinado?


Fonte: Portal Contábeis

Sem papel, sustentável e consultiva.gif