top of page

Serviços atingem patamar recorde em dezembro no Brasil e fecham 2022 com alta

O setor de serviços fechou 2022 com alta acumulada de 8,3%



O volume de serviços no Brasil cresceu bem mais do que o esperado em dezembro e alcançou o maior patamar da série histórica, terminando 2022 com ganhos pelos segundo ano seguido ainda na esteira da reabertura econômica.


Em dezembro o setor de serviços brasileiro registrou alta de 3,1% na comparação com o mês anterior, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


O resultado interrompeu dois meses seguidos de quedas e ainda ficou bem acima da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 1,0%.


Com isso, o setor de serviços fechou 2022 com alta acumulada de 8,3% e passou a ficar 14,4% acima do nível de fevereiro de 2020, pré-pandemia, e alcançou patamar recorde na série histórica, iniciada em 2011. Em 2021 o setor apresentou expansão de 10,9%.


Na comparação com dezembro do ano anterior, houve expansão de 6,0%, enquanto economistas esperavam alta de 3,9%.


Os serviços apresentaram fôlego no ano passado com a reabertura da economia após a pandemia de Covid-19, mas esse impulso tende a se esgotar.


À frente, os serviços não devem ganhar muito mais força, uma vez que, assim como o restante da economia, passam a sentir mais os efeitos defasados da elevação nos juros no país, além da desaceleração da economia global.


O IBGE destacou em dezembro o desempenho do setor de transportes, com alta de 2,5% sobre o mês anterior. Também contribuiu para o resultado a alta de 10,3% do segmento de outros serviços (10,3%).


O ramo de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio também foi destaque em todo o ano de 2022, com avanço acumulado no volume de serviços de 13,3%, exercendo a principal influência.


“O setor de transportes cresce desde 2020, mas com dinâmica diferente: inicialmente, por causa da área de logística, com alta nos serviços de entrega, em substituição às compras presenciais”, explicou o analista da pesquisa, Luiz Almeida.


“Já em 2022, há a manutenção da influência do transporte de carga, puxado pela produção agrícola, mas também pela reabertura e a retomada das atividades turísticas, impactando o índice no transporte de passageiro”, completou.


Serviços profissionais, administrativos e complementares foi o segundo setor com maior impacto no resultado de 2022, ao registrar expansão de 7,7%.


O índice de atividades turísticas, por sua vez, cresceu 4,1% em dezembro e apresentou alta de 29,9% no acumulado do ano de 2022. O setor está 1,5% acima do patamar pré-pandemia e 5,5% abaixo do ponto mais alto da série, alcançado em fevereiro de 2014.


Fonte: Forbes Money

Comments


bottom of page